top of page
Buscar
  • Foto do escritorFULIBAN

FULIBAN e a causa do Autismo

Desde 2023, os Conselhos da FULIBAN definiram que o PROJETO DE ATENÇÃO À PESSOA COM TEA e aos SEUS FAMIILIARES é um projeto permanente da entidade.

No mês de abril, promove-se a campanha mundial de conscientização sobre o autismo. O transtorno do espectro autista (TEA) está presente em milhares de famílias brasileiras, muito embora seja um assunto ainda desconhecido e cercado de mitos.


Em linhas gerais, o TEA compõe um grupo de condições que afetam o desenvolvimento infantil. Esse grupo de condições especiais é denominado Transtornos do Neurodesenvolvimento, segundo nomenclatura do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais – DSM-V.


O TEA manifesta-se, em geral, na primeira infância, antes mesmo da criança iniciar sua vida escolar. Caracteriza-se por déficits, que variam no grau de severidade e que acometem o funcionamento pessoal, social e acadêmico. Segundo a bibliografia de referência, essas alterações estão presentes desde o início da infância e permanecem, em algum nível, durante o desenvolvimento do indivíduo ao longo de toda a sua vida. O diagnóstico preciso não é simples, envolve um período variável conforme o paciente, incluindo a avaliação por diferentes profissionais de saúde.


Segundo pesquisa do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), uma agência do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos, 1 em cada 44 crianças aos 8 anos de idade, em 11 estados norte-americanos, é diagnosticada autista, segundo dados coletados no ano de 2018. Mesmo que não seja uma pesquisa brasileira, o Brasil utiliza-se dos estudos do CDC como referência, já que ainda não existem pesquisas oficiais sobre a sua prevalência no país.


Tal como o diagnóstico, o tratamento do autismo tambem é multidisciplinar, compreendendo profissionais da área médica, como pediatra, neurologista e psiquiatra, mas também terapeuta ocupacional, psicólogo, fonoaudiólogo, psicopedagogo, dentre outros.


O acompanhamento especializado, desde o início da infância, certamente pode amenizar os sintomas, tornando-os até mesmo, em muitos casos, quase imperceptíveis na vida adulta. Segundo dados do site “AUTISMO E REALIDADE”, pode reduzir em até dois terços os custos dos cuidados ao longo da vida, quando o tratamento é iniciado na infância.


É preciso, portanto, desmitificar o autismo, promovendo a conscientização e o cuidado.


PROJETO TEA da FULIBAN


Na década de 90 e anos 2000, muito antes da divulgação que se vê atualmente sobre o autismo, a FULIBAN tornara-se referência nacional no tratamento da saúde da criança e do adolescente. Naquela época, chegou a atender 600 jovens carentes por mês. Desse modo, está no seu “DNA” a atenção à saúde das crianças e dos jovens.


Nesse sentido, desde 2019, atenta ao contexto social, a FULIBAN tem promovido eventos sucessivos para orientação sobre os direitos das pessoas autistas e debates com profissionais, de forma presencial e virtual, bem como prestado, através de seus voluntários e entidades parceiras credenciadas, de forma totalmente gratuita, serviços na área da saúde, voltados para psicologia, fonoaudiologia, psicopedagogia, pedagogia para crianças e jovens adolescentes inseridas no espectro autista.


Além dos serviços de saúde em sua sede, a FULIBAN promove encaminhamentos para serviços médicos de neuropediatria e outras especialidades conveniados, sem custo, além de Laboratórios, visando à realização de exames de sangue e imagem, à baixo custo, reduzindo a pressão sobre o sistema público de saúde.


Haja vista a forte demanda existente, os Conselhos da FULIBAN deliberaram, em 2023, que o PROJETO DE ATENÇÃO À PESSOA COM TEA e AOS SEUS FAMIILIARES, elaborado na entidade, dever ser projeto permanente e contínuo, a fim de que sejam direcionados recursos para a sua crescente implantação na entidade.


O público-alvo é a população em vulnerabilidade social e econômica de Belo Horizonte e região metropolitana, com suspeita ou diagnosticada com o transtorno do espectro autista e seus familiares.


Desde então, além dos serviços de saúde, passou-se a oferecer o serviço social com orientações de encaminhamentos, oferecimento de cestas básicas para aqueles que passam por insegurança alimentar, coach parental (visando à orientação de pais de teanos e tambem aos adultos) e, finalmente, os serviços de mediação de conflitos (problemas conjugais entre os pais, no relacionamento escolar e na comunidade em que vivem).


Segundo Frederico Aburachid, presidente da Fuliban, o trabalho oferecido através dos voluntários da entidade é extremamente gratificante, promovendo transformações na vida dos teanos, mas tambem daqueles que os cercam, desde o núcleo familiar, passando pelas escolas e comunidade em que vivem. “Infelizmente, a insuficiência de recursos, nos impede de alcançar mais a população. Não podemos desanimar, pois a transformação de cada um tem resultados de progressão geométrica”, afirma Aburachid.


A pretensão da FULIBAN é ampliar os serviços oferecidos pelo Projeto para atender à demanda reprimida. Desse modo, nos próximos meses, pretende auferir apoio para contratar profissionais especialistas, que são escassos no mercado, além dos voluntários. Pretende-se, ainda, obter apoio para a criação de uma sala multidisciplinar, de aproximadamente 40m2, com “ilhas” para fonoaudiologia, terapia ocupacional, fisioterapia, dentre outras especialidades.


Os objetivos do PROJETO não param na assistência à saúde. Após a implantação da sala multidisciplinar, com equipamentos modernos, a FULIBAN pretende, em uma segunda fase, promover a capacitação e inserção do público-alvo no mercado de trabalho, que é uma grande preocupação das famílias.


Na defesa do projeto, o Presidente da Fuliban, Frederico Aburachid, ousou parafrasear Dom Quixote: “‘Quando se sonha sozinho é apenas um sonho. Quando sonhamos juntos, é o começo da realidade’. A Fuliban é uma força do bem, formada pela comunhão de apoiadores, voluntários, empresas parceiras e colaboradores que se dedicam para um presente e futuro melhores! O exemplo possa inspirar tambem novos agentes e adesões à causa.”


A FULIBAN está aberta a receber apoio, novos voluntários e trocar experiências. Faça parte tambem dessa Força!




186 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page